https://journal.cm-pontedelima.pt/index.php/pontedelima/issue/feed Ponte de Lima: do passado ao presente, rumo ao futuro! 2021-03-01T11:41:22+00:00 Cristiana Freitas arquivo@cm-pontedelima.pt Open Journal Systems <p>Em pleno século XXI a publicação "<em>Ponte de Lima: do passado ao presente, rumo ao futuro"</em> pretende dar ênfase a um passado milenar com um futuro promissor, traduzindo-se numa oportunidade e num desafio cujo intuito é incentivar a produção de novo conhecimento sobre o concelho de Ponte de Lima, em particular, e a região, em geral.</p><p>Retoma-se, assim, a herança deixada pelos nossos ilustres antepassados nos <em>Anais de Ponte de Lima</em>, de Miguel Roque dos Reys Lemos, no <em>Almanaque de Ponte de Lima</em>, organizado por ilustres limianos e conceituados escritores e poetas da região cujo sentimento comum era o amor à terra natal – António de Magalhães, Conde de Bertiandos, Francisco de Abreu Maia, Padre Araújo Calheiros, Conde de Aurora, João Gomes de Abreu e António Ferreira – e, mais recentemente, no <em>Arquivo de Ponte de Lima</em>, de José Rosa Araújo.</p><p>Esta iniciativa espera poder contar com uma participação ativa de todos aqueles que se interessam pela cultura limiana, no sentido mais amplo do termo, desde a gastronomia, aos usos e costumes, às tradições, às festividades, à arquitetura e arte, à fauna e flora, entre outros.</p><p>Conforme referido por Jacques Le Goff <em>"O passado é uma construção e uma reinterpretação constante e tem um futuro que é parte integrante e significativa da história</em>".</p><p>Estamos certos que a qualidade científica dos autores e dos artigos apresentados contribuirá, indubitavelmente, para elevar e afirmar a cultura e a identidade limiana enquanto fatores de integração, competitividade e desenvolvimento.</p><p> </p><p align="center"><em>Victor Mendes</em><br /> Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima</p> https://journal.cm-pontedelima.pt/index.php/pontedelima/article/view/63 A Recordação, a História e a Escola como Patrimónios da Memória Social da Vila de Ponte de Lima 2021-03-01T11:32:02+00:00 Ana Catarina Lima arquivo@cm-pontedelima.pt <p>Partindo da compreensão de que o passado e suas memórias agrega valor ao presente e projeta-se para o futuro, este trabalho tem como objetivo refletir sobre a recordação, a história e a escola como patrimónios da memória social da Vila de Ponte de Lima. Com recurso a uma pesquisa do tipo bibliográfica e documental, verificamos as dinâmicas sociais e educativas na Vila quanto aos eventos, espaços de memória e a escola primária. Também foram utilizados alguns excertos de narrativas da memória individual da vila e da escola. O argumento teórico assenta-se no entendimento de que a vila, as suas festas e celebrações, os espaços públicos e sua escola, compõem os cenários onde são construídas as memórias individuais e coletivas. Estas memórias compõem o universo simbólico de uma identidade social, permitindo que as recordações sejam significadas e ressignificadas num movimento sociodinâmico onde o passado se faz presente em diálogo com as histórias e recordações de pessoas e de lugares.</p> 2021-03-04T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Ana Catarina Lima https://journal.cm-pontedelima.pt/index.php/pontedelima/article/view/61 O Loureiro da Ribeira Lima: Na Senda de uma Casta Histórica 2021-03-01T11:27:18+00:00 Gonçalo Marques arquivo@cm-pontedelima.pt <p>Tendo presentes as principais fontes documentais que, desde o século XVIII, nos permitem uma identificação clara das castas mais relevantes da Região Demarcada, o presente artigo procura apresentar uma sistematização desses apontamentos e fixar lastro e memória do cultivo e apreciação do afamado Loureiro da Ribeira Lima, responsável por vinhos únicos e inigualáveis, que encontra no concelho de Ponte de Lima um “terroir” particularmente importante para o seu desenvolvimento. Verificamos que a afirmação gradual da casta – apesar da sua reconhecida antiguidade – se dá a partir da segunda metade do século XVIII, conhecendo nos últimos 50 anos anteriores ao nosso tempo uma “segunda vida” de espantoso e programado fortalecimento.</p> 2021-03-01T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Gonçalo Marques https://journal.cm-pontedelima.pt/index.php/pontedelima/article/view/64 A Chã da Mourisca na Idade do Bronze. Um Sítio Arqueológico em Refoios do Lima 2021-03-01T11:35:45+00:00 Luciano Vilas Boas arquivo@cm-pontedelima.pt <p>A necrópole da Chã da Mourisca foi descoberta acidentalmente em 2010, tendo sido detetadas, na altura, três estruturas arqueológicas distintas. As primeiras duas encontravam-se nos perfis de um caminho em terra batida, onde foram visualizadas estruturas em negativo em cada um dos lados do caminho. Situado a cerca de 50m a norte deste caminho foi detetado um monumento megalítico de cariz funerário, e relativamente bem perceptível na paisagem. Após uma primeira intervenção arqueológica foi necessário realizar uma segunda escavação. Os dados obtidos durante as duas campanhas arqueológicas permitiram pôr a descoberto um conjunto de três sepulturas planas, uma fossa de perfil em “saco” entre outras estruturas de difícil caracterização com os dados até agora disponíveis.</p> 2021-03-04T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Luciano Vilas Boas https://journal.cm-pontedelima.pt/index.php/pontedelima/article/view/62 A Casa Nobre no Concelho de Ponte de Lima na Época Moderna. A Expansão Portuguesa e a Encomenda Arquitetónica (de África ao Brasil) 2021-03-01T11:29:43+00:00 Amélia Paiva arquivo@cm-pontedelima.pt <p>Traçar o perfil dos encomendadores das casas nobres do concelho de Ponte de Lima é uma tarefa particularmente árdua, uma vez que a pesquisa documental que desenvolvemos não permitiu individualizar, na maior parte dos casos, os protagonistas da encomenda arquitetónica. Assim, e perante tal lacuna, resta-nos definir o enquadramento político, social, económico e institucional dos mecenas da casa nobre na Época Moderna no concelho de Ponte de Lima. O nosso arco temporal baliza-se entre a afirmação do Senhorialismo no reinado de D. Afonso V até ao advento do Liberalismo. Neste intervalo de tempo viveu-se simultaneamente um período de afirmação da nobreza limiana, que atuou muitas vezes de forma prepotente contra o poder e a autonomia municipal, e de enriquecimento com as conquistas além-fronteiras. Com este artigo tentaremos provar que a expansão portuguesa foi determinante para a encomenda arquitetónica no concelho muito antes do século XVIII, como é habitualmente referido.</p> 2021-03-01T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Amélia Paiva https://journal.cm-pontedelima.pt/index.php/pontedelima/article/view/65 A Casa de Sá, antes e depois do Conde da Barca (1754-1817): Apontamentos para uma Perspectiva Histórica mais Ampla 2021-03-01T11:38:29+00:00 Miguel Tovar arquivo@cm-pontedelima.pt <p>As referências à Casa de Sá na historiografia local e nacional tendem a cingir-se quase exclusivamente à figura de António de Araújo e Azevedo, Conde da Barca (1754-1817), que foi sem dúvida o seu filho mais ilustre. Nas páginas que seguem, pretende-se recompilar algo da história mais ampla desta propriedade — uma historia acidentada e por vezes confusa, em que os meandros dominam sobre as linhas direitas — cujas origens documentadas remontam ao séc. XVI e cuja vivência se prolonga até à actualidade.</p> 2021-03-04T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Miguel Tovar https://journal.cm-pontedelima.pt/index.php/pontedelima/article/view/66 Cláudio Lima: Arte e Integridade ou o Dom de nos Prender e Preencher 2021-03-01T11:41:22+00:00 Jorge Tinoco arquivo@cm-pontedelima.pt <p>Há autores cuja qualidade de escrita nos faz ir muito para lá da esfera da admiração. São homens e mulheres de quem nos tornámos incondicionais devotos, cada vez mais saciados, cúmplices e fortalecidos a cada religação ou releitura. Nunca nos defraudam nem nos fazem experimentar, por diminuta que seja, alguma vez a deceção. Por isso os revisitamos e nos revigoramos nesse maná do encontro – não como quem se agarra a um ritual que previne contra qualquer sensação de distância ou de vazio, mas como autêntica comunhão que revalida a descoberta e confirma a terra fértil da aproximação sentida. São também esses autores que nos fazem assimilar melhor a Humanidade e que, pelo dom de tão magnanimamente a transmitirem nas suas angústias, fragilidades, alegrias, dramas e sonhos, dessacralizam a Literatura para a transformarem num fervilhar de vida igual à nossa, aos nossos anseios, dúvidas, ambivalências – igual, em suma, ao céu e ao chão que há em cada um de nós, pó e prodígio de que somos feitos. (...)</p> 2021-03-04T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Jorge Tinoco