António Feijó: Uma Visão Poética da Mulher

Fátima Melo

Resumo


António Feijó (1859-1917), alta figura limiana pelo seu dom cultural, poético e social, é considerado como um ilustre poeta. Inscrito num momento histórico marcado pela coexistência de diferentes correntes literárias que apaixonaram a «Geração de 70», distingue-se pelo seu amor à poesia, desde aluno do ensino secundário. A sua profunda sensibilidade e apurado sentido crítico inundam a sua poesia e o seu espólio epistolar. Poetizou a figura feminina, a beleza, o amor e a morte. O seu espírito cosmopolita afastou-o das leis que estudou no Curso de Direito decidindo-se pela carreira diplomática. Partiu para o Brasil (1886) e depois para a Suécia (1891). Do exílio, este poeta diplomata enviava estrofes bem buriladas, que transmitiam ecos de ternura e de saudade da família, dos amigos e da sua terra natal. António Feijó, poeta do AMOR repousa no cemitério de Ponte de Lima ao lado da sua mulher Dona Mercedes Joana.


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.